Linha de Cascais

A CP suprimiu cerca de 88% dos comboios programados entre as 00h00 e as 06h00 de hoje devido à greve de 24 horas dos trabalhadores para reivindicar aumentos salariais de 90 euros, segundo fonte oficial da empresa.

Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal estão esta segunda-feira, dia 16 de maio, uma greve de 24 horas que já dura desde a meia-noite e deverá ainda causar algumas complicações amanhã terça-feira.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) e a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) informam que a greve decorre entre as 00h00 e as 24h00, mas já abrangeu trabalhadores que iniciariam o período de trabalho no domingo ou que terminariam o período de trabalho na terça-feira.

De acordo com a Lusa, os principais “motivos desta greve são os aumentos salariais, aplicação do Acordo de empresa da CP aos antigos trabalhadores da antiga EMEF”, entre outras reivindicações.

A Fectrans e o seu sindicato, filiados na CGTP, reivindicam um aumento mínimo de 90 euros para todos os trabalhadores da CP, a quem foi aplicada uma atualização de 0,9%, tal como foi imposto a todo o Setor Empresarial do Estado e Administração Pública.

Já esta manhã a CP informou que no domingo foram suprimidos 191 comboios a nível nacional e hoje, entre as 00h00 às 06h00 da manhã já tinham sido cancelados 61 dos 69 comboios previstos, o que confere uma taxa de supressão de cerca de 88%.