Pintura e gravura de Goya em Cascais revela olhar do mestre sobre a sociedade do seu tempo

5

A exposição com pintura e gravura de Francisco de Goya (1746–1828), a inaugurar hoje no Centro Cultural de Cascais, vai apresentar o olhar do artista sobre a sociedade do seu tempo, reunindo obras inéditas em Portugal.

A exposição “Goya: Testemunho do seu Tempo” reúne dez pinturas que serão apresentadas pela primeira vez em Portugal, juntamente com quatro séries de gravuras do mestre espanhol.

A mostra – que abre ao público no domingo e estará patente até 09 de julho – é uma iniciativa da Fundação D. Luís I e da Câmara Municipal de Cascais, no âmbito da programação do Bairro dos Museus.

Considerado um dos mais importantes artistas espanhóis do século XVIII, e precursor da Arte Moderna pelo caráter inovador da sua obra, Goya inspirou correntes artísticas que surgiriam nos séculos seguintes, do Romantismo ao Surrealismo.

As curadoras Maria Toral e Maria Oropesa fizeram uma seleção que propõe um percurso pelos temas mais importantes da obra gráfica e pictórica de Francisco de Goya, para evidenciar a forma como “abriu portas a um novo conceito de arte”.

“O artista como testemunha do seu tempo que, imbuído de um profundo sentido de liberdade, é capaz de expressar o seu liberalismo político, as suas opiniões sobre temas como a religião e as instituições, o seu fascínio pelas mulheres e a força emocional da família, amor e luxúria, o desagrado pela opressão intelectual e a aversão à guerra, refletindo, o período de convulsões políticas e transformações sociais em que viveu”, refere uma nota da curadoria.

A exposição termina com a apresentação de treze gravuras que fazem parte de “Os Disparates ou Provérbios” (1815 – 1824), a última série produzida por Goya, e que são consideradas as mais enigmáticas das suas composições.

A exposição no Centro Cultural de Cascais ficará aberta ao público de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00.