Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril reinventam gastronomia

20

Jovens chefs da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril demonstram como elevar a outro nível pratos típicos como chicharros fritos, migas de feijão, farófias ou arroz doce; e-book ‘Algas à Portuguesa’ vai ser apresentado ao público na Bolsa de Turismo de Lisboa.

Pastéis de Chaves com Algas do Mar, seguidos de Bacalhau Assado com Pão de Centeio e Toque de Algas Marinhas. Para a sobremesa, Pão de Ló de Ovar com Toque de Alga Kombu. Essas são algumas das propostas únicas que a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) irá apresentar na BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa), que acontecerá entre 28 de fevereiro e 3 de março, na FIL (Feira Internacional de Lisboa).

Durante a Conferência da RIPTUR – Inovação e Sustentabilidade no Turismo, em 1 de março, o e-book ‘Algas à Portuguesa’ será lançado, apresentando uma seleção de receitas de inspiração portuguesa reinventadas com algas costeiras, prometendo atrair a atenção dos participantes.

As propostas inovadoras dos alunos da Licenciatura de Produção Alimentar em Restauração da ESHTE convidam os visitantes a uma viagem gastronômica por diferentes regiões de Portugal, elevando os pratos típicos de Açores, Algarve, Beira Interior, Beira Litoral, Estremadura, Madeira, Minho e Douro, Ribatejo e Trás-os-Montes a um novo patamar.

 

Os coordenadores do projeto, os professores Gilberto Costa e Ricardo Bonacho, afirmam que “essas inovações não apenas preservam a essência da culinária portuguesa, mas a elevam”. Eles enfatizam o potencial das algas marinhas na gastronomia portuguesa e como essas receitas podem desmistificar o ingrediente, tornando-o acessível e delicioso.

Além disso, na BTL, o docente Gilberto Costa irá apresentar experiências gastronômicas dos alunos do Mestrado em Inovação em Artes e Ciências Culinárias, explorando a Ação do Homem e a Bioinspiração.

A presença da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril na BTL também incluirá a apresentação do projeto ‘ReWo – From Research to Working Life’ pelo docente Miguel Brito. Esse projeto Erasmus+ visa conectar alunos e profissionais do turismo, proporcionando uma transição eficaz da pesquisa para a prática profissional.

Em resumo, o objetivo do projeto Rewo é unir a pesquisa acadêmica com a prática profissional, envolvendo alunos e representantes da indústria do turismo para desenvolver desafios reais no contexto de teses finais e aplicação prática.