Marcelo Fonseca Santos – Poema às mães

10
Marcelo Fonseca Santos

As mães nunca morrem
Quando morre uma mãe
Os segundos transformam-se em minutos
Os minutos em horas, as horas em dias e os dias em semanas
Os tempos seguintes só o tempo dirá
Ao mesmo tempo retiram-te o tempo
Mãe a minha tristeza não cabe no mundo e
As alegrias e amor que me deste também não
Quem me dera termos tido mais tempo.

Um enorme agradecimento da minha família às equipas do IPO de Lisboa, Hospital São Francisco Xavier, INEM e à Associação Humanitária de Bombeiros dos Estoril, pelo serviço público de excelência e humanismo demonstrado.

Obrigado Maria Teresa Santos, a melhor mãe do mundo que amarei incondicionalmente para sempre.

Marcelo Fonseca Santos
Advogado