Compressas esquecidas no corpo após intervenções médicas

6
Compressas esquecidas no corpo

Os hospitais CUF Descobertas e Cascais foram alvo de reclamações por parte de pacientes que ficaram com compressas esquecidas no corpo após intervenções médicas, levando o regulador da saúde a emitir uma instrução para as unidades hospitalares.

Uma das utentes que apresentou queixa contra o Hospital CUF Descobertas relatou à Entidade Reguladora da Saúde (ERS) que, após um parto com complicações, descobriu duas compressas vaginais esquecidas no seu corpo, apenas detetadas 15 dias após o procedimento. Ela destacou que recebeu alta sem que uma revisão do canal de parto tivesse sido realizada.

O hospital respondeu à ERS que realizou uma reunião com a reclamante para esclarecer o ocorrido e que foram identificadas medidas de melhoria nos cuidados prestados após o incidente.

A ERS concluiu que a conduta do Hospital CUF Descobertas foi desrespeitosa para com o direito da paciente a cuidados adequados e emitiu uma instrução para garantir que os cuidados de saúde respeitem os direitos dos pacientes e assegurar a qualidade e segurança dos procedimentos.

Também o Hospital de Cascais recebeu uma instrução da ERS após uma reclamação semelhante, onde uma paciente relatou terem sido esquecidas compressas vaginais após uma cirurgia por incontinência de esforço, retiradas apenas 10 dias após a intervenção. O hospital lamentou o ocorrido e comprometeu-se a melhorar os procedimentos relativos à transferência de cuidados do paciente cirúrgico.

A ERS instruiu o Hospital de Cascais a garantir o cumprimento efetivo das medidas corretivas e a implementar procedimentos que garantam o respeito pelos direitos dos pacientes e a segurança nos cuidados de saúde prestados.